Greve na UERN chega a 108 dias, mas, Robinson Faria "endurece o pescoço" e tenta vencer servidores pelo cansaço.

Robinson Faria foi "emparedado" por grevistas durante sua passagem pela FINECAP.

A greve de docentes, técnicos e estudantes na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) alcançou, nesta quarta-feira (09), a incrível marca negativa de 108 dias de paralisação. Sem dúvidas, um recorde lamentável e que empobrece a educação pública do RN.

De um lado estão os grevistas, que cobram do Governo do Estado o cumprimento do Plano de Cargos e Salários, a realização imediata de concurso público e de uma série de melhorias estruturais nos campi da UERN. Os técnicos também têm reivindicações que tocam à categoria. E os estudantes lutam por avanços como reforma e construção de residências universitárias e restaurantes nos campi.

Do outro lado está o governador Robinson Faria (PSD), que se mantém inerte ante as reivindicações alegando a existência de dificuldades financeiras, apesar de ter "vendido" facilidades durante todo o período eleitoral ao prometer resolver o tão propagado caos administrativo do Governo Rosalba Ciarlini.

Ao que parece, Robinson Faria resolveu "endurecer o pescoço" e pretende vencer os grevistas pelo cansaço, já que não existe uma sinalização concreta de resolução do impasse.

Até quando os servidores da UERN resistirão à inflexibilidade do governador?

Aguardemos...

*BLOG POLÍTICA PAUFERRENSE

 

Desenvolvido por Gilberto Designer